Palestra II

Os nossos convidados, terminada a palestra e os autógrafos, seguiram para o Jardim de Infância de Rio Santa Eulália, como podem ver em: http://janelajardim.ning.com/.
Podem também conhecer os trabalhos dos nosso ilustres convidados em: http://www.gemeoluis.com/editora/ie/main.html.

img01.jpg

Museu de Olaria

Nós, os Magníficos no dia 27/02/08 fomos ver uma exposição ao museu de Olaria de Barcelos.

A exposição era sobre: Louceiros de Santa Comba (Foz Côa).

A guia explicou-nos o que vimos: fotografias antigas e peças em barro.

Nas fotografias observamos: um menino em cima de um burro que carregava dois cântaros de cada lado; uma mina de barro; o forno onde coziam barro; a roda do louceiro; a feira; uma velhinha a usar um alguidar.

As peças de barro que estavam nas vitrinas e no chão eram: talhas; cântaros, panelas, pratos, assadeiras, bilhas, chocolateira, barris, potes e pucarinhos.

Antigamente, os Louceiros trabalhavam o barro com as mãos e os pés, para o amassar.

Os Louceiros construíam as peças em barro na roda de madeira, a seguir colocavam as peças num forno (parecia uma gruta), na entrada colocam lenha a arder para cozer o barro. Actualmente coze me fornos que podem atingir 1000 graus centigrados.

Quando as peças estavam prontas as mulheres ou as filhas iam para as feiras vendê-las.

As talhas grandes eram usadas para guardar a água, as pequenas para colocar azeitonas, azeite ou salgar carne.

Terminamos de ver a exposição e fomos para a sala de trabalho. A Dra. Ana entregou-nos um papel com enigmas. Os enigmas eram sobre a exposição, nós tínhamos que descobrir a solução, desenhar e construir em barro. As peças foram muito diferentes, havia: saladeira, pote, cântaro, caneca, bilha, tacho, travessa, prato e vaso.

Adoramos a exposição, mas gostávamos de ver a exposição de Rosa Ramalho.

Palestra

A reportagem fotográfica da Palestra com  Emílio Remelhe e o Gémeo Luís. Logo, logo contamos como foi.

[rockyou id=105348488&w=426&h=319]

Semana da Leitura

Os Magníficos gostam muito de ler e descobriram o mundo maravilhoso das histórias e o que podemos realizar com elas.
As nossas experiências são muito diversificadas, desde: leitura, pintura, teatro, maquetes… cada dia descobrimos uma nova forma de interpretar as histórias.
A professora apresentou-nos uns livros fantásticos, as histórias e as suas ilustrações são diferentes.
A forma como o autor brinca com as palavras, as ilustrações que dão “asas” à nossa imaginação.
Ssschlep, Rêve, O piano de cauda, entre outros fazem parte da nossa Biblioteca de sala e que gostamos de interpretar segundo a nossa criatividade.
A melhor notícias que recebemos é que Eugénio Roda (Emilio Remelhe) e Luís Mendonça (Gémeo Luís) nos visitam (7/02/08) e vão contar-nos a história: Ssschlep.

 

sonhar.jpg

Uma aventura…Resgate da bebé tigre

Era uma vez uma menina (Joana) e um menino (João), eram irmãos, viviam na selva.
Eles estavam a jogar à bola, quando encontraram uma bebé tigre. Ela estava perdida…
Deram-lhe o nome de Kyara.
Passaram 2 dias, a Kyara estava muito triste, e a Joana e o João pensaram procurar os pais dela para a devolver.
Até chegar ao vale dos tigres tinham de passar por montes, rios e por um vulcão.
Passar os montes foi fácil, escalar não era difícil! Mas para eles passarem o rio…tiveram de fazer uma jangada de madeira. Demoraram um dia e meio. Conseguiram passar o rio. Chegaram ao vulcão que tinha muitos buracos com lavas incandescentes, não podiam saltar por cima. O João lembrou-se de construir u m balão que subisse nos céus e pudessem passar.
A Joana ajudou-o a procurar folhas das árvores, restos de panos que havia, de um avião que tinha caído. Ufa! Foi difícil construir o balão.
Quando conseguiram colocaram a Kyara entre os ramos, entrou a Joana e o João empurrou e saltou lá para dentro.
Finalmente conseguiram, mas o calor era tanto que ficaram todos negros do fumo e transpirados!
Quando chegaram ao vale dos tigres tentaram que os tigres os percebessem, com gestos e gritos.
Os tigres aceitaram-nos como amigos e davam cambalhotas de felicidade por terem a Kyara de volta.
Ana Rita

Uma Aventura em Espanha

Era uma vez quatro adolescentes que viviam numa linda serra, a Serra da Estrela.
Nas férias de Verão, o Orlando, o Rafael, a Carla e a Andreia, foram para Espanha.
Pela manhã, era costume, irem para a praia, onde jogavam voleibol, raquets. Enfim, divertiam-se ao máximo.
De seguida, iam para o hotel, onde almoçavam.
Após algum descanso e feita a digestão, preparavam-se para irem à piscina, onde também aproveitavam para se divertirem e bronzearem.
Chegada a noite, decidiam, todos, dançar.
Quando chegaram á discoteca, o mais brincalhão, o Orlando, começou logo a pegar com as miúdas.
Conheceu uma que o encantou de verdade, a Margarida.
Seguiu-se uma boa conversa. A Margarida pediu-lhe o número de telemóvel, mas para a infelicidade dela, o Orlando tinha o perdido na viagem. Com receio de não se voltarem a encontrar, combinaram uma ida á praia no dia seguinte.
Já na praia, os 2 conversavam:
– Então, ainda, não arranjaste um telemóvel?
– Não, também ainda não procurei nenhum.
– Olha, eu tenho aqui um, mesmo giro, tem câmara, tem muita capacidade e dá para por cartão de memória. Se quiseres vendo-to a metade do preço.
– A sério? Quanto custa então?
– Na loja custa 200€ e faço-te por 100€, queres?
– Ya . Mostra aí! Disse o Orlando. Lá aceitou o negócio que a Margarida lhe propôs.
A partir desse dia nunca mais se viram, apenas falavam pelo telemóvel. Parece que estavam a ter uma boa relação.
Passam alguns dias, o Orlando e o grupo decidiram ir conhecer melhor o Centro Comercial, que tinha perto do hotel. Iam aproveitar para fazer umas compras.
Quando lá chegaram começaram a apreciar algumas lojas, até que chegaram a uma que vendia telemóveis.
De repente, um grupo de 4 assaltantes, todos encarapuçados, invadiu a loja.
Quando o grupo do Orlando se apercebeu do sucedido contactou de imediato a polícia.
Mala polícia chegou, quadrilha apercebeu-se e tentou fugir, mas acabaram por ser apanhados.
A curiosidade de saber quem eram aquelas 4 pessoas era tantas, que logo de seguida lhes tiraram os carapuços.
Toda a gente assista àquele momento, até que … Tiram a última encarapuçada.
Era a Margarida, a grande amiga do Orlando.
Orlando, ao ver aquilo, nem queria acreditar, parecia-lhe uma excelente rapariga, incapaz de fazer tal coisa. Ele percebeu logo que o tinha ajudado, quando ela lhe vendeu o telemóvel.
Decidiu então dar o telemóvel à polícia e explicar o que tinha acontecido.
O Orlando, o Rafael, a Carla e a Andreia eram testemunha de tudo o que tinha passado naquele Centro Comercial.
Prestadas todas as declarações à polícia, regressaram para o hotel
Para terminar este dia, cansativo decidiram ficar pelo hotel e aproveitaram para descansar.
No dia seguinte iam regressar à Serra da Estrela.

Orlando 4ºano

Uma aventura: “o tesouro roubado “Num dia de escola, 5 amigos foram visitar o castelo de Faria em Barcelos. Viram lá um mapa perdido e tentaram seguir o mapa o percurso do mapa, mas perderam-se.
O castelo tinha seguranças por toda a parte e perguntaram a um segurança onde estavam.
O segurança respondeu
-Estão na entrada do castelo.
Os 5 amigos, quando encontraram o mapa foram na entrada. Teriam voltado ao mesmo sitio onde entraram?!
A Luísa disse:
– O tesouro só pode estar onde estamos!!
Ficaram lá até à noite.
Na entrada, o Chico começou a escavar com uma pá e encontrou um tesouro.
Ouviram um ruído e foram logo esconder-se. Viram um homem que pegou no tesouro e fugiu de carro.
O Pedro conseguiu tirar a matrícula. Mas quando chegaram à polícia, já esta tinha o tesouro. O tesouro era de D. Afonso Henriques que lutou contra os castelhanos, com a ajuda dos Alcaides Álvares Pereira.
Os 5 amigos acabaram em bem, mas o Chico acabou com dores de costas de tanto cavar.
.

Diogo 4ºano